FSM News

O dólar subiu na terça-feira após dados de vendas do varejo dos EUA fracos empurrarem para baixo o dólar dos EUA durante a noite, enquanto seu similar da Nova Zelândia subiu ante os dados de inflação melhores do que o esperado.

O índice dólar dos EUA, uma medida de da força do dólar frente à seis grandes moedas, subiu 0,01% para US$ 94,78, mas estava ligeiramente abaixo de uma máxima intradiária de US$ 95,37 na segunda-feira antes da divulgação do relatório de vendas do varejo.

Os dados mostraram sinais de hesitação do consumidor para gastar e chegou enquanto os rendimentos dos títulos dos EUA dão uma pausa de sua máxima de sete anos na semana passada.  

A nota do Tesouro de 10 anos dos EUA permaneceu em 3,17% na terça-feira, tendo atingido uma máxima de sete anos de 3,26% em 9 de outubro.

Alguns analistas viram o movimento atual do dólar tendo sido diferente de uma moeda de refúgio seguro.

O chefe de estratégia da moeda em uma empresa financeira australiana, Ray Attrill, declarou que mesmo quando as ações dos EUA estavam em colapso e havia um humor de aversão ao risco no mercado global, o dólar não negociou forte como alguns poderiam esperar.

A correção da ação não está feita. O dólar está se comportando de uma maneira assimétrica – as boas notícias não são tão boas e as más notícias não são tão ruins em termos de ação do preço para o dólar, acrescentou Attril.

Frente ao iene japonês, o dólar dos EUA ganhou 0,3% para 112,12. A moeda de refúgio seguro atingiu uma máxima de um mês de 111,61 na segunda-feira.

O dólar avançou também 0,08% para 0,9886 frente ao franco suíço.

Ambos, o iene e o franco suíço, não mantiveram o interesse dos compradores em meio às tensões entre os EUA e a Arábia Saudita, que têm estado sob pressão desde que um jornalista saudita renomado, Jamal Khashoggi, um crítico de Riyadh e um residente dos EUA, desapareceu em 2 de outubro após visitar o consulado saudita em Istambul.   

O Dólar da Nova Zelândia Sobe Ante Os Dados da Inflação Mais Forte

 FSMNews

O dólar da Nova Zelândia, enquanto isto, somou 0,3% para 0,6574 uma vez que a taxa de inflação interna excedeu as expectativas dos economistas no terceiro trimestre.

Os dados do governo mostraram que o índice de preço ao consumidor (CPI, sigla em inglês) subiu 0,9% em três meses no final de setembro, superando o aumento de 0,7% estimado pelos economistas.

Entretanto, a medida preferida do Reserve Bank da Nova Zelândia da inflação principal foi deixada inalterada em 1,7% no terceiro trimestre, sugerindo que não há necessidade de apertar a política neste momento.

O Banco Central espera manter a taxa monetária oficial (OCR, sigla em inglês) neste nível durante 2019 e 2020, por mais tempo do que havia projetado em maio, com a direção do próximo movimento da OCR possivelmente subindo ou descendo.

O governador do Reserve Bank, Adrian Orr, declarou que as mais recentes previsões acompanharam a recente desaceleração na expansão econômica com os riscos equilibrados adequadamente no lado positivo e no lado negativo.

O estrategista de mercado sênior, Jason Wong, disse que eles veem um período de consolidação durante os próximos seis meses em torno do nível de 0,65 e que eles ainda não estão confiantes que a tendência de baixa está encerrada devido às forças globais.

Com o tempo, o mercado irá avaliar o risco de atenuação atualmente precificado na curva OIS, acrescentou Wong.

Com relação à taxa de inflação, o economista sênior, Michael Gordon, declarou que os preços do combustível responderam por cerca de um terço do crescimento no CPI para o trimestre, e é provável que empurre a inflação para acima dos 2% no próximo trimestre.

Assine agora para FSMNews para obter sua dose diária de informação sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais. Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui no FSMNews.