FSM News

A Grã-Bretanha permitirá que a Huawei Technologies tenha um papel restrito na construção de partes de sua rede 5G em busca de um meio termo em um argumento desagradável entre os Estados Unidos e a China sobre a próxima geração de tecnologia de comunicação.

O maior fabricante do mundo de equipamentos de telecomunicações, Huawei Technologies está sob intenso exame minucioso após os Estados Unidos dizerem aos parceiros não utilizarem sua tecnologia devido aos receios que poderá ser um transporte para escutas chinesas. Huawei negou veemente isto.

Uma agência de notícias reportou ao Conselho de Segurança Nacional da Grã-Bretanha, presidido pela Primeira Ministra Theresa May, tinha decidido dar acesso à Huawei à peças não essências da subestrutura de celular 5G como antenas, apesar das preocupações dos ministros.   

Uma fonte da segurança disse a uma agência de notícias que a Grã-Bretanha bloquearia a Huawei de partes totalmente centrais da rede 5G e o acesso a partes não essenciais seria limitado. Outra fonte confirmou isto. Ambos falaram sob a condição de anonimato.

O compromisso da Grã-Bretanha poderá ser um modelo para outros seguirem esta que é a mais importante rede de inteligência compartilhada – a aliança Anglophone Five Eyes. A Huawei também recebeu bem a medida de Londres.  

Por outro lado, alguns legisladores britânicos permaneceram em oposição.

"Permitir à Huawei entrar na infra-estrutura 5G do Reino Unido faria com que os aliados duvidassem de nossa capacidade de manter os dados seguros e corroer a confiança essencial à cooperação Five Eyes", disse Tom Tugendhat, presidente do Comitê Britânico de Relações Exteriores. 

A definição de essencial e não-essencial é algo muito difícil com o 5G,” ele acrescentou.

A Grã-Bretanha realizou uma “análise com base em evidência” da cadeia de fornecimento do 5G para assegurar uma base segura “agora e no futuro”, um porta-voz do governo disse na quarta-feira.

O 5G, que irá oferecer velocidade de dados muito mais rápido e acabou de ser o elemento principal de várias indústrias e redes, é visto com uma das maiores inovações desde o nascimento da internet em si uma geração atrás.

“Tem havido diferentes abordagens no Five Eyes e nas alianças parceiras mais amplas do Ocidente em torno da Huawei e em torno de outras questões também,” disse Ciaran Martin, chefe do centro cibernético da principal agência de espionagem da Grã-Bretanha.

FSMNews

O chefe do Centro de Segurança Cibernética Nacional disse que a decisão da Grã-Bretanha seria publicada no momento certo.

O equipamento da Huawei também não existe ou está sendo desmembrado das atuais redes centrais na Grã-Bretanha, mas é amplamente utilizado nas atuais partes de menor risco, como os mastros de rádio.

O mercado de equipamentos de telecomunicações está dividido entre três grandes fornecedores, Huawei, Ericsson da Suécia e Nokia da Finlândia – e operadores de rede enfrentam diminuição o que limitaria a rivalidade entre eles.

A Grã-Bretanha que é um mercado significativo para a Huawei e a empresa chinesa receberam bem a decisão.

“Nós recebemos bem os relatos de que o governo da Grã-Bretanha está se mexendo para permitir que a Huawei ajude a construir a redes 5G da Grã-Bretanha,” um porta-voz da Huawei disse.

“Enquanto nós esperamos por um anúncio formal do governo, nós continuaremos a trabalhar cooperativamente com o governo e a indústria e sua abordagem com base em evidência para a segurança da rede.”

Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui em FSMNews, Inscreva-se agora para FSMNews e obtenha sua informação atualizada sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.