FSM News

Os preços do petróleo caíram na quarta-feira após um relatório ter mostrado um aumento nos estoques do petróleo bruto dos EUA, entretanto os mercados mundiais permaneceram sob tensão em meio à uma intensificação na crise política na Venezuela, um aperto nas sanções dos EUA sob o Irã e contínuos cortes de fornecimento da OPEP.

Os futuros do petróleo Brent estavam à US$ 71,52 por barril, caiu 54 centavos ou 0,8% em relação ao seu último fechamento. Os futuros do petróleo West Texas Intermediate (WTI) dos EUA despencaram 66 centavos ou 1% à US$ 63,25 por barril.

As ações de petróleo dos EUA aumentaram em 6,8 milhões de barris para 466,4 milhões de barris na semana até 26 de abril, o grupo manufatureiro do Instituto de Petróleo da América (API, na sigla em inglês) disse na terça-feira.

“Os preços do petróleo caíram... após o relatório semanal do estoque de petróleo da API ter mostrado um aumento de 6,8 milhões de barris, superior a previsão de 3,1 milhões de barris que nós vimos na semana passada,” disse Edward Moya, analista de mercado sênior na corretora de futuros OANDA.

A crise no principal produtor de petróleo, Venezuela, onde há um impasse entre o presidente Nicolas Maduro e o líder da oposição Juan Guaido. Muitos observadores temem que isto poderá causar aumento na violência e mais interrupções no fornecimento de petróleo.

Os mercados de petróleo apertaram este ano devido aos cortes de fornecimento liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEC, na sigla em inglês) como também as sanções dos EUA sobre as exportações de petróleo do Irã.

No último novembro, as sanções impostas novamente de Washington sobre Tehran, entretanto, possibilitou originalmente que seus principais consumidores limitassem as importações por outros seis meses.

Estas expectativas expiram na quarta-feira e Washington disse que não estenderá nenhuma isenção a medida que visa reduzir as exportações de petróleo iraniano para zero.

FSMNews

Norbert Ruecker, chefe de pesquisa no banco suíço Julius Baer disse, “As sanções do Irã ocorrem em adição aos fornecimentos já frágeis e aumento das preocupações com os mercados apertados.”

Alguns analistas, entretanto, dizem que os mercados de petróleo mundiais estão abastecidos adequadamente.

Stephen Innes, chefe de negociação na SPI Asset Management, disse que a OPEP “poderá compensar rapidamente as perdas dos fornecimentos do Irã.”

A OPEP deve se reunir em junho para falar sobre sua política de produção e embora Washington tenha pressionado o grupo para elevar o rendimento para compensar o déficit do Irã, o líder de fato da Arábia Saudita disse na terça-feira que não tem planos instantâneos para aumentar o rendimento.

Ruecker disse que apesar de ser improvável que esses “países petroleiro da OPEP manterá seus cortes no fornecimento” enquanto a pressão dos EUA para aumentar o rendimento surgiria em meio aos preços da gasolina aumentando.

O rendimento crescente dos EUA, que aumentou agora em cerca de 2 milhões de barris por dia (bpd) durante o ano passado para um recorde de 12,2 milhões de bpd, pode também afrouxar o aperto do mercado.

“A atividade está aumentando e a produção de petróleo está definida para acelerar novamente,” Ruecker disse, acrescentando que estes fatores colocarão fim a um rali prolongado do preço do petróleo.

Na quarta-feira, o analista na Bernstein Energy disse em uma nota que dado o fornecimento geral e os fundamentos da demanda, “O petróleo Brent está de volta ao seu valor justo esperado de US$ 70 por barril.”

Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui em FSMNews. Inscreva-se agora para FSMNews e obtenha suas informações atualizadas sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.