FSM News

A maioria das ações asiáticas retrocederam nesta quarta, seguindo a decisão do presidente americano, Donald Trump, em oficializar a saída do acordo nuclear internacional com o Irã.

 

O MSCI, maior índice da Ásia-Pacífico fora do Japão, caiu 0,03% a $ 565,08, enquanto a Nikkei 225 caiu 0,3%, e foi a 22.422,50 ienes, depois de atingir uma baixa de 22.401,73 no início das negociações.

 

A sul-coreana KOSPI caiu 0,2%, a ₩ 2.443,98, mas a refinaria de petróleo SK Innovation mostrou otimismo ao subir em 1% e ir a ₩ 202.000.

 

Na Grande China, o índice Hang Seng, de Hong Kong, aumentou 0,2%, a HK$ 30.486,00, depois de ficar em uma linha estável no início da sessão.

 

Os mercados do continente ficaram em uma zona negativa, com a Shanghai Composite caindo 0,08% a CN¥ 3.158,81, enquanto a Shenzen Composite caiu 0,09% a CN¥ 1.834,56.

 

A S&P/ASX 200, da Austrália, subiu 0,2% a AUD$ 6.108,00, conforme os ganhos vindos do setor de energia ajudaram a compensar as perdas no setor financeiro.

 

Trump Deixa Acordo Nuclear do Irã

 FSMNews

Trump decidiu, na terça, retirar os EUA do acordo do Irã de 2015, anunciando que ele restituiria as extensivas sanções sobre o país para enfraquecer o que ele descreveu como um acordo unilateral que nunca deveria ter sido feito.

 

Aumentando a possibilidade de um conflito no Oriente Médio e indo contra o conselho de seus aliados europeus, o governo de Trump irá restaurar todas as sanções sobre o Irã, que estavam suspensas pelo acordo.

 

Isso incluirá uma grande série de penalidades que visam o setor de energia, estabelecimentos financeiros e o setor industrial, sua habilidade de assegurar os negócios internos e seu direito de utilizar dólares e commodities americanos.

 

Espera-se que os limites sejam postos em efeito imediatamente, o que quer dizer que as companhias enfrentarão sanções se executarem qualquer negócio com o Irã, enquanto será permitido que companhias estrangeiras amenizem os contratos atuais com o país por períodos de 90 e 180 dias.

 

Trump também avisou sobre a imposição de sanções sobre qualquer nação que ajude o Irã em sua busca por armas nucleares.

 

Desenvolvido pelos Estados Unidos, outros cinco países e o Irã, o acordo foi criado para prevenir o Irã de ter em mãos uma bomba nuclear.

 

O acordo removeu restrições que tinham sido impostas a economia iraniana e tinham tirado quase metade de suas exportações de petróleo. Em troca pelas sanções suspensas, o Teerã iria limitar seu programa nuclear e daria a inspetores internacionais facilidade de acesso ao Irã.

 

O Irã também negociou o acordo nuclear com China, França, Alemanha Rússia e Reino Unido.

 

Trump teme que o acordo não consiga abordar o programa de mísseis balísticos do Irã, suas atividades nucleares após 2025, ou seu envolvimento na disputa entre o Iêmen e a Síria.

 

Retirar-se do acordo cumpre uma das promessas da campanha do presidente, embora ponha em risco as relações dos EUA com alguns de seus aliados, pressionando uma fonte considerável do petróleo mundial. O Irã também poderá demitir inspetores e continuar com sua atividade nuclear que concordou em parar.

 

Os últimos eventos do mercado estão aqui no FSMNews. Inscreva-se agora no FSMNews e obtenha sua dose diária de informações sobre forex, commodities, bolsas de valores, tecnologia, economia e muito mais.