FSM News

O mercado de ação mundial mostrou otimismo na sexta-feira a medida que um novo progresso nas negociações comerciais entre os EUA e a China elevou as expectativas de um acordo na disputa tarifária, impulsionando o sentimento de risco.

As ações europeias atingiram seu nível mais alto em mais de um mês, com o índice pan-europeu STOXX 600 em alta em 0,9% para €354,08.

Os índices e ações expostos ao comércio também subiram, com os automóveis avançando 1,4% para €475,94, enquanto o DAX da Alemanha subiu 1% para €11.029,68.

O aumento seguiu a liderança nas ações da Ásia-Pacífico, que por sua vez seguiram o exemplo do desempenho das ações dos EUA.

 

O índice mais amplo da MSCI das ações da Ásia Pacífico fora o Japão, que subiu 1,3% esta semana, ganhou 0,7% para US$ 498,18 na sexta-feira.

O Shanghai Composite somou 1,4% para CN¥2.596,01, enquanto o Hang Seng de Hong Kong avançou 1,2% para HK$27.090,81.

O S&P/ASX 200 da Austrália subiu 0,5% para A$5.879,60, enquanto o índice KOSPI da Coreia do Sul subiu 0,8% para ₩2.124,28.

O Nikkei do Japão ganhou 1,2% para ¥20.661,00, marcando uma máxima de um mês.

Progresso Sutil Na Guerra Comercial Entre Os EUA e a China

 FSMNews

Um jornal com foco em negócios dos EUA reportou na quinta-feira, citando pessoas próximas às deliberações internas, que o Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, estava considerando elevar algumas ou todas as tarifas sob a China e sugeriu medidas para reverter impostos sobre os produtos chineses durante as negociações comerciais em 30 de janeiro.

 

Mnuchin apoia o afrouxamento das tarifas, mas o mesmo não pode ser dito do Representante do Comércio dos EUA, Robert Lighthizer, que tem ressalvas sobre a ideia, disse o jornal.

 

Um porta-voz do Departamento de Tesouro negou mais tarde o relato, declarando que nem Mnuchin nem Lighthizer fizeram qualquer recomendação para qualquer pessoa em relação às tarifas ou outro assunto da negociação com a China.

Este é um processo em curso com a China que não está perto de uma finalização, acrescentou um porta-voz.

As ações dos EUA subiram inicialmente após o relato, antes de limitar os ganhos após a negativa do Tesouro ter sido publicada. Todos os três principais índices avançaram no dia, impulsionados pelas ações industriais mais fortes.

Com o mercado de ação tendo sido impactado pelas tensões comerciais em 2018, mesmo uma indicação de progresso na guerra comercial prolongada entre as duas maiores economias do mundo foi o suficiente para melhorar o sentimento de risco.

Como no ano anterior, o economista sênior Soichiro Monji, declarou que a guerra comercial entre os EUA e a China permanece um tema principal do mercado em 2019, e a sutil diferença é que há alguns sinais de que os dois lados estão buscando algum tipo de resolução.

A China parece estar acabando com suas opções, enquanto os EUA gostarias também de evitar um conflito prolongado dadas as consequências negativas no seu mercado e na economia, acrescentou Monji.

O Vice-Premier chinês, Liu He, está programado para visitar os EUA em 30 e 31 de janeiro para o mais recente round de negociações comerciais com o objetivo de resolver a disputa entre os dois países.

Os EUA e a China concordaram no mês passado uma trégua de 90 dias na guerra comercial que interrompeu o fluxo de milhares de bilhões de dólares de produtos.

Os indicadores divulgados recentemente sinalizaram uma desaceleração na economia chinesa.

Para seu quarto trimestre, que está programado para ser apresentado na segunda-feira, o crescimento econômico da China é esperado para ter desacelerado para seu ritmo mais lento desde a crise financeira global enquanto a demanda interna e externa declinou.

 

Os mais recentes eventos do mercado estão aqui em FSMNews. Assine agora para FSMNews e obtenha sua dose diária de informações sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.