FSM News

O fabricante alemão de automóveis, BMW Group, planeja assegurar controle de sua joint venture na China através de um acordo que dará a companhia mais poder sobre seu negócio no maior mercado automobilístico do mundo.

A BMW declarou que assumirá controle majoritário de sua principal joint venture chinesa por €3,6 bilhões (US$ 4,1 bilhões), aumentando sua participação na sua venture com a Brilliance China Automotive Holding Ltd. De 50% para 75%.

A BMW está embarcando agora em uma nova era, de acordo com o chefe executivo Harald Kruger, agradecendo ao Premier chinês, Li Kequiang, quem ele disse que tinha apoiado pessoalmente o plano.

O acordo da BMW com a Brilliance Automotive, que está sujeito à aprovação regulatória e dos acionistas, é esperado para se concluído em 2022 quando a política de propriedade estrangeira 50/50 para todas as ventures de carro tenha sido aumentada. O período estabelecido para a joint venture também será estendido de 2028 para 2040.

China Afrouxa Políticas Para Companhias Estrangeiras

 FSMNews

Esta é primeira de tal medida para um fabricante de automóveis global, após os planos da China para afrouxar as regras para empresas estrangeiras operando em seu enorme mercado.

A China tem estado receptiva para os fabricantes de carros investirem mais no país, amenizando inclusive suas políticas que restringem propriedade estrangeira de negócios de veículos elétricos em 50% este ano.

As companhias estrangeiras, que fabricam carros na China não estão autorizadas atualmente a ter participação de mais de 50% de qualquer venture chinesa e eles devem dividir os lucros com seus parceiros locais.

Esta regra tem sido imposta desde 1994 e deixou várias empresas estrangeiras em dificuldade. Isto tem dificultado também que grandes marcas globais ganhem acesso total para o mercado de automóveis do país.

Com as tensões comerciais com os Estados Unidos aumentando, o governo da China está planejando também ampliar o acesso para seus mercados, incluindo a redução de taxas sob veículos importados, remédios contra o câncer e produtos ao consumidor.

A BMW é um dos maiores exportadores de veículos dos EUA para a China, colocando a companhia na mira de uma guerra comercial que tem visto os dois países aumentarem as tarifas sob uma enorme quantidade de produtos, incluindo automóveis.

Analista independente da indústria automobilística, James Chao, declarou que dada a disputa comercial entre as duas maiores economias do mundo, há um incentivo poderoso para companhias de carros para produzirem veículos no mercado onde eles os vendem.

O controle completo da joint venture poderá ajudar a BWM a trazer a fabricação de modelos como os veículos utilitários esportivos X4, X5, e X6, que são fabricados atualmente nos EUA, para a China, de acordo com Chao.

BMW disse que a meta do acordo era impulsionar a capacidade de produção em sua atual instalação em Shenyang e expandir a localização de outros modelos como o tão aclamado novo veículo de energia.

Os líderes da China assinaram outros acordos em Shenyang como a companhia química alemã, BASF SE, recebendo carta branca em julho para estabelecer a primeira indústria química de propriedade totalmente estrangeira do país.

Mudanças na política já ajudaram o fabricante de VE dos EUA, Tesla Inc., a ganhar o consentimento do país para uma empresa de fabricação e vendas totalmente de propriedade chinesa em Xangai, marcado a primeira vez de um grupo automobilístico estrangeiro que será capaz de estabelecer uma presença total na China sem uma parceria.

Assine agora para FSMNews para saber mais sobre os últimos acontecimentos do mercado. FSMNews fornece informação atualizada sobre forex, commodities, ações, tecnologia, economia e muito mais.