FSM News

O dólar americano vem caindo em uma baixa de duas semanas contra seus principais pares na quarta, apesar de o presidente chinês, Xi Jinping comprometer-se a diminuir as tarifas de importação, que ajudou a amenizar as tensões entre os EUA e a China.

 

O índice do dólar contra a cesta das seis principais moedas caiu 0,09% à US$ 89,24, seu menor nível desde 28 de março.

 

O dólar enfraqueceu-se ante o refúgio seguro, o yen, por 0,3% a 106.82, enquanto ele se recuperou contra o franco suíço em 0,07% a 0.9576. A moeda também caiu em 0,1% a 6.2771 contra o yuan.

 

O dólar canadense subiu em 0,1% a 1.2618 por dólar americano, após conseguir sete semanas de altas de 1.2588 na terça devido ao aumento dos preços do petróleo e o amolecimento da dispute entre EUA e China.

 

O dólar pode seguir as sugestões do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) dos EUA do mês de março, que dever ser divulgado no final do dia, e a minutos da reunião de março da Reserva Federal.

 

Os economistas preveem que o IPC se mantenha estável em 0,2%, enquanto o IPC ano a ano do núcleo está projetado para aumentar dos 1,8% de fevereiro para 2,1%.

 

Comprometimento de Xi Aumenta Esperanças de Evitar-se uma Guerra Comercial

 FSMNews

Após semanas acertando tarifas comerciais recíprocas um com o outro, o presidente Xi se comprometeu na terça-feira a cortar impostos sobre veículos importados neste ano e abrir a economia da China, em um esforço de resolver sua briga comercial com os EUA.

 

À parte do corte de tarifas sobre importações, o governo chinês também planeja afrouxar as restrições sobre a propriedade estrangeira em sua indústria de automóveis e reforçar a aplicação dos direitos de propriedade intelectual.

 

Xi disse que uma guerra fria, assim como uma soma zero, ficaram fora de cogitação, e o isolacionismo apenas criará barreiras.

 

A declaração veio após que o governo de Trump revelou na semana passada planos para implementar tarifas sobre 1.300 produtos chineses no valor de US$ 50 bilhões por ano para os EUA. As taxas serviram como penalidade pelo alegado roubo de propriedade intelectual por parte da China.

 

Acredita-se que companhias chinesas estão roubando segredos comercias das corporações americanas assim como as compelindo em tecnologia em troca da obtenção da entrada no mercado do país.

Os comentários de Xi resultaram em uma melhoria no sentimento de risco, que foi seguido por uma variação de mais de 3% nos equities globais e preços do petróleo, mas se tornaram uma desvantagem para o dólar a medida em que aliviaram as preocupações sobre a guerra comercial que poderia potencialmente prejudicar o desenvolvimento da economia global.

 

O presidente americano, Donald Trump, comentou as ações da contraparte chinesa, dizendo que ele aprecia os planos de Xi sobre as tarifas e o ingresso para os fabricantes de carros americanos, assim como o esclarecimento dele sobre o assunto da propriedade intelectual, complementando que eles farão grandes progressos juntos.

 

Os recentes comentários de ambos os líderes pareceram ter aumentando as probabilidades de prevenir o acontecimento de uma total guerra comercial, mesmo que Trump e Xi não tenham sido capazes de conversar desde que as tarifas americanas foram anunciadas.

 

Economistas disseram que o foco agora está sobre a possível resposta dos EUA e que eles acompanharão de perto o progresso destas medidas de abertura.

 

Inscreva-se agora no FSM News e receba sua dose diária de informação sobre Forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais. Os últimos acontecimentos do mercado aqui no FSM News.