FSM News

O dólar atingiu uma mínima de dez dias frente a uma cesta das seis pricinpais moedas na quinta-feira, pressionado pelo aumento dos temores sobre uma possível desaceleração econômica nos EUA apesar do quarto aumento das taxas do Federal Reserve este ano.

O índice dólar dos EUA estava em baixa de 0,6% para US$ 96,41, inferior a sua mínima de nove dias de US$ 96,554 atingida na sessão anterior.

O estrategista da moeda, Alvin Tan, disse que eles estão vendo alguns mercados bagunçados em moedas e o dólar está lutando para ganhar força após a decisão do Fed.

Frente ao iene, o dólar escorregou 0,7% para 111,68. A moeda japonesa está a caminho de seu quinto dia consecutivo de ganhos. O Bank of Japan (BOJ) deixou suas políticas monetárias inalteradas, mantendo sua meta da taxa de curto prazo em -0,1% e a meta de rendimento de 10 anos em cerca de 0%.

O euro, enquanto isto, subiu 0,6% para 1,1455 frente ao dólar uma vez que relatos da Itália fechando um acordo com a Comissão Européia sobre seu orçamento de 2019 e os fortes dados comerciais desta semana ajudaram a impulsionar a moeda única.

A libra estava negociando também no verde, frente ao dólar, ganhando 0,5% para 1,2682. O Bank of England está definido para manter sua reunião de política final para 2018 até o final do dia e os mercados esperam que o banco central manterá as taxas atuais.

Em outro lugar, o franco suíço somou 0,5% para 1,0106 frente ao dólar dos EUA, tendo subido mais de 1% na quinta-feira após o banco central ter subido as taxas de juros pela primeira vez em mais de sete anos.

 

Temores de Uma Economia dos EUA Desacelerando Permanecem

 FSMNews

Durante a noite, o Fed elevou a variação da meta para a taxa de referência de investimento em 25 pontos bases para uma variação entre 2,25% e 2,5% na quarta-feira, enquanto projeta aumentos de taxas menores em 2019 do que teve durante sua reunião de política de setembro.

Embora as autoridades dos EUA tenham declarado que eles pensam aumentar as taxas de juros três vezes até 2020, a curva de rendimentos dos títulos dos EUA, uma medida amplamente aceita de recessões futuras, achatou para 10 pontos bases e estava ligeiramente mais alta do que a mínima de 11 anos marcada no início deste mês.

Uma inversão da curva de rendimento dos títulos é vista como um sinal de recessão econômica com rendimentos de longo prazo caindo abaixo dos vencimentos mais curtos e estas preocupações desencadeadas por uma venda em massa de ativos mais arriscados como ações como também moedas de alto rendimento como a moeda da Nova Zelândia.  

 

Embora os chamados gráficos de pontos do banco central sugiram agora dois, em vez de três aumentos de juros para o próximo ano, o mercado permanece incerto e dificilmente terá preços em um aumento, refletindo as crescentes preocupações do mercado sobre a condição da economia global.

 

No mesmo momento, o banco central da China lançou uma ferramenta de política destinada a estimular o empréstimo para companhias pequenas e privadas, uma medida que alguns analistas consideraram como equivalente a uma redução de meta objetivada.

O banco central declarou que a facilidade de empréstimo de médio prazo (TMLF, na sigla em inglês) oferecerá uma fonte estável de longo prazo de financiamento para instituições financeiras com base no crescimento de seus empréstimos para empresas pequenas e privadas.

Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui em FSMNews. Assine agora para FSMNews e obtenha suas informações atualizadas sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.