FSM News

O dólar estava estável frente à uma cesta de outras seis moedas na sexta-feira. Atingiu uma máxima de mais de 14 meses frente ao Yuan, com os mercados aborrecidos com preocupações sobre a intensificação das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China.

a quinta-feira a China prometeu que iria retaliar se os EUA avançassem com sua ameaça de aumentar as tarifas sobre as exportações das nações asiáticas. Isto ocorre após o presidente dos EUA, Donald Trump, ter solicitado às suas autoridades comerciais para considerarem elevar as tarifas para 25% de 10% sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas nos Estados Unidos.

Entretanto, como os Estados Unidos importam muito mais do país asiático que a China dos EUA, os investidores acreditam que uma guerra comercial pode ser mais negativa para a economia chinesa.

“Parece que os mercados estão reagindo à uma guerra comercial entre os EUA e a China, uma vez que os EUA é o ganhador enquanto a China é o perdedor,” declarou Masafumi Yamamoto, que é o estrategista chefe de moeda na Mizuho Securities. “ Os mercados chineses são geralmente fracos. É por isto que a fraqueza do renminbi está levando ao fortalecimento do dólar.”

O índice dólar dos EUA, que mede a força do dólar frente à uma cesta de outras seis grandes moedas, atingiu uma nova máxima de duas semanas de 95,211. Mudou de mãos à 95,139.

 FSMNews

Enquanto isto, o euro negociou próximo à uma mínima de duas semanas à US$ 1,1591.

O dólar estava quase estável frente ao iene, negociando à 111,70. Os EUA e Japão estão definidos para se encontrarem em Washington em 9 de agosto para conduzirem suas primeiras negociações comerciais bilaterais.

“Os Estados Unidos estão buscando chegar à alguns resultados (em seus conflitos comerciais) com a China para começar,” declarou Yukio Ishizuki, que é o estrategista chefe monetário na Daiwa Securities. “Eu acho que um dos propósitos das conversas comerciais entre os EUA e o Japão é encontrar um terreno comum frente-à-frente com a China.

O dólar australiano, que é considerado como um comparativo para o crescimento chinês por causa da economia dependente da exportação da Austrália, também estava sob pressão. A disputa comercial EUA-China superou os dados positivos de vendas no varejo em casa.

O Aussie negociou à US$ 0,7370, que é um pouco acima da mínima de duas semanas de US$ 0,7355 atingida durante o dia anterior.

Enquanto isto, a libra permaneceu vulnerável mesmo após o Banco da Inglaterra ter decidido na quinta-feira elevar sua política da taxa de juros de 0,5 para 0,75% após decisão unânime de seu conselho de política de nove membros.

Na sexya-feira a libra britânica negociou à US$ 1,3020, aumentando uma bagatela de uma mínima de duas semanas de US$ 1,3006 atingida no início do dia.

Escorregou tanto quanto 0,8% na quinta-feira como resultado da medida do BoE para aumentar a taxa de juros.

O Governador do Banco da Inglaterra, Mark Carney, declarou que a política monetária necessária para “andar e não correr” embora levantassem preocupações sobre os riscos de um Brexit que poderia resultar em tarifas mais altas e outras regras rígidas na fronteira. economia, de acordo com Yamamoto de Mizuho.

Essas são as coisas que os investidores têm em mente, de modo que não podem seguir totalmente os sinais hawkish do Banco da Inglaterra", disse ele.

Quer os últimos acontecimentos do mercado? Obtenha-os aqui no FSMNews. Assine agora para FSMNews e tenha sua dose diária de informações sobre forex, commodities, ações, tecnologia, economia e muito mais.