FSM News

O Dólar Negociou Perto de Sua Máxima de Três Semanas Após O BOJ ter Deixado Sua Política Inalterada Em -0,1%, Apoiando O Apetite Pelo Risco E Enfraquecendo o Iene.

 

O dólar negociou perto de uma máxima de três meses na quarta-feira após o Bank of Japan (BOJ) ter deixado sua política monetária ultra solta inalterada, aumentando o apetite pelo risco e arrastando o iene para baixo.

O índice dólar dos EUA, uma medida de sua força frente a uma cesta das seis principais moedas, ganhou 0,07% para US$ 96,028, permanecendo perto de sua máxima de três semanas de 96,484 atingida na sessão anterior.

O iene de refúgio seguro enfraqueceu frente a seus similares, com o par dólar-iene subindo 0,2% para 109,67, enquanto a moeda japonesa caiu 0,5% para 78,33 frente ao dólar australiano.

Frente ao euro, o iene também encolheu 0,2% para 124,53.

Fazendo Um Esforço Para Lidar Com Vários Problemas

 FSMNews

O mercado cambial tem estado volátil nas últimas semanas a medida que os investidores absorveram vários problemas com o Brexit desacelerando o crescimento econômico mundial e a previsão para os principais bancos centrais.

Durante a noite, o BOJ manteve sua política inalterada em -0,1% como amplamente esperado e reduziu sua inflação principal ao consumidor para 0,9% no ano fiscal iniciando em abril de 1,4%.

Dados do Ministério das Finanças (MOF) mostraram na quarta-feira que as exportações do Japão em dezembro declinaram 3,8% em relação à 2017, sua maior queda anual desde outubro de 2016 e maior do que a queda de 1,9% estimada pelos economistas.

Isto enfatizou a necessidade por suporte contínuo para a economia dependente do comércio.

O foco não mudará para o Banco Central Europeu (ECB, na sigla em inglês), que está definido para se reunir na quinta-feira e o mercado estão esperando isto para reconhecer os riscos para a economia da zona do euro.

O analista cambial, Lee Hardman, declarou que o ECB provavelmente se juntará a seus similares globais para ter uma visão cautelosa sobre o crescimento e que deve manter o dólar suportado, especialmente com expectativas de baixa no dólar como um como um comércio consensual.

 

O Fundo Monetário Internacional (IMF,na sigla em inglês) reduziu na segunda-feira suas previsões de expansão global de 2019 e 2020 para 3,5% e 3,6% respectivamente.

As revisões ocorreram quando o fundo viu ainda mais enfraquecimento na economia global devido a contração maior do que o esperado na China e a zona do euro, como também a referida falha para resolver as tensões comerciais.

O crescimento na segunda maior economia do mundo no ano passado atingiu uma mínima de 28 anos e está caminhando para mais uma contração este ano antes das medidas de estímulo começar a entrar em vigor.

Os investidores estão esperando progresso nas negociações comerciais entre os EUA e a China, com os mercados financeiros e a demanda mundial já sentindo o impacto da disputa tarifária.

O sentimento de risco caiu durante a noite após ter sido reportado que o governo do presidente dos EUa, Donald Trump recusou uma oferta dos dois vice-ministros da China para visitar Washington esta semana para discursões comerciais preparatórias, mas foi posteriormente negado por um conselheiro da Casa Branca.

Enquanto isto, o euro caiu 0,4% para 1,1353 frente ao dólar na quarta-feira, enquanto a libra britânica avançou 0,1% para 1,2978 frente ao dólar dos EUA.

O Sterling estava em alta de 0,5% frente ao dólar dos EUA na terça-feira após os dados mostrarem que o crescimento de pagamento do Reino Unido aumentou 3,4% para marcar seu nível mais alto desde meados de 2008 apesar de uma desaceleração econômica antes do prazo que se aproxima para o Brexit em 29 de março.

Os investidores estão esperando por uma saída ordenada da União Europeia (EU, na sigla em inglês).

Desde que o plano do Brexit da Primeira Ministra Britânica, Theresa May, foi rejeitado por uma margem mais do que o esperado na semana passada, os formuladores de política têm procurado por uma maneira de sair da crise, mesmo que nenhuma opção tenha recebido aprovação majoritária do parlamento.

O diretor administrativo de estratégia cambial, Kathy Lien, declarou que o mercado está agora calculando completamente a previsão de um Brexit difícil, embora o risco político ainda permaneça em ação e a volatilidade com certeza aumentará se nenhum caminho claro for visível para o mercado.

Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui em FSMNews. Assine agora para FSMNews para suas informações atualizadas sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.