FSM News

O gigante líder de tecnologia, Google, um braço da Alphabet Inc, anunciou que investirá meio bilhão de dólares na JD.com, que é o segundo maior player de comércio eletrônico da China.

A Google investirá US$ 550 milhões em dinheiro na JD.com como parte de um acordo estratégico, de acordo com as companhias, onde ambas emitiram uma declaração. Em troca do investimento, a Google estará recebendo mais de 27 milhões de ações ordinárias de Classe A recentemente emitidas da JD.com, chegando com um preço de emissão de US$ 20,29 por ação.

Este número é igual a US$ 40,58 por ação depositária americana com base nos preços de negociação médio ponderado por volume nos próximos 10 dias de negociação. JD.com listou ações depositárias americanas em sua companhia do grupo na Nasdaq em 2014.

As duas companhias de tecnologia declararam que elas cooperariam para desenvolverem uma infraestrutura de varejo que pode melhor aprimorar e personalizar a experiência de compra enquanto reduz a o atrito em vários mercados, que incluirão o Sudeste Asiático.

Por parte da JD.com, esta declarou que planejou fazer uma seleção dos itens disponíveis para venda em lugares como os Estados Unidos e Europa através do Google Shopping, que é um serviço que permite aos usuários pesquisarem produtos nos sites de comércio eletrônico, como também comparar preços entre vendedores diferentes.

Em geral, quando os varejistas fecham um acordo com a Google, a parceria dá a seus produtos mais visibilidades enquanto torna mais conveniente para os consumidores compra-los online. Para o gigante da tecnologia, seu serviço de compra é um ponto crucial para ganhar de volta pesquisas de produtos da Amazon, mantendo sua relevância no futuro de e-commerce impulsionado pela voz.

O acordo abriria portas para JD.com atingir os consumidores fora da China, especialmente em meio a ascendente guerra comercial entre Washington e Pequim.

O fundador e chefe executivo da JD.com, Richard Liu, declarou recentemente em uma entrevista que uma guerra comercial seria “horrível” e acabaria prejudicando muitas marcas americanas. Ele afirmou também que a incerteza atual dá ao negócio uma pausa sobre seus planos de expansão nos EUA.

A companhia chinesa de comércio eletrônico está competindo agressivamente contra a Alibaba da Jack Ma no mercado de comércio eletrônico da China. Tanto a Alibaba quanto a JD.com investiram significativamente em tecnologia, varejo e logística para conquistar os consumidores.

 FSMNews

O JD.com tem experimentado serviços de entrega de drones para alcançar os consumidores rurais da China, pois eles mantêm o custo de logística relativamente baixo.

O gigante do comércio eletrônico é apoiado também por outro grande concorrente da Alibaba, que é o líder de tecnologia, Tencent. A Tencent está envolvida em áreas de negócios, como redes sociais, pagamentos digitais e jogos. Ela também opera o WeChat, que é a maior plataforma de mensagens sociais da China.

A parceria da JD.com com a Tencent permite que ela venda diretamente aos consumidores por meio do aplicativo WeChat.

A JD.com também fechou um acordo com a gigante de varejo americana Walmart no setor de supermercados. Segundo relatos, o Walmart abriu um pequeno supermercado de alta tecnologia na China, onde os consumidores podem usar smartphones para pagar itens que estão disponíveis em sua loja virtual na plataforma online JD Daojia, que é uma afiliada da JD.com.

Saiba mais sobre os últimos acontecimentos do mercado aqui no FSMNews. Inscreva-se agora no FSMNews e receba informações completas sobre forex, commodities, bolsas de valores, tecnologia, economia e muito mais.