FSM News

A economia da Grécia afundou dos últimos três meses de 2016, uma vez que os relatórios trimestrais mostram um menor Produto Interno Bruto, depois de crescer de forma fenomenal no último trimestre. O medo de uma outra recessão rodeia o país com a chegada de 2017, e a crise da dívida poderia mais uma vez ressurgir. Todo o inesperado retrocesso econômico representa uma ameaça maior sobre a Grécia atual e o impasse de seus credores.

Os últimos três meses de 2016 forneceram mudanças inesperadas e desacelerações na Grécia, todos eles vieram de um incrível terceiro trimestre que o país apresentou. O produto interno bruto da Grécia caiu 0,4% no último trimestre de 2016, em oposição ao crescimento de 0,9% no trimestre anterior. De acordo com a pesquisa realizada, a estimativa mediana do país foi de 0,4% de expansão, mas os resultados recentes registraram um crescimento econômico de 0,3% para todo o ano.

De acordo com o economista Eurobank Ergasias de Atenas,Tassos Anastasatos, "A maior parte da recuperação no terceiro trimestre foi impulsionada pelo consumo" e finalizou com "Para o final do ano já começaram a surgir dúvidas que acabaria rapidamente com as opiniões e que pode ter feito as pessoas mais cautelosas sobre seus gastos. "

Atualmente o país está em um impasse com seus credores, que continua a se intensificar uma vez que o governo de Atenas é intrasigente, liderado pelo seu primeiro-ministro Alexis Tsipras, com a sua decisão de não ceder às demandas de cortes adicionais; Milhares de agricultores protestaram em Atenas por causa dos custos crescentes e das reformas impopulares.

 FSMNews

A Mais Recente Avaliação do FMI para a Grécia

O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que "a Grécia deve aprofundar e acelerar as reformas, que, juntamente com a ajuda da dívida, são necessárias para permitir que a economia volte a um caminho de crescimento sustentável". Argumentou-se rigorosamente e vigorosamente que uma medida suplementar de 2% do PIB terá de ser aplicada imediatamente se a Grécia pretender alcançar um alto superávit primário de pós-programa de mais de 1,5%. 

Zona do Euro Têm Queda Súbita no 4T

A Grécia não é a única que vai retroceder  com seu último quarto para 2014; O crescimento da zona do euro tem diminuído para 0.4% para o quarto trimestre. Todos os resultados estão mais lentos e mais baixos, exceto o crescimento da Alemanha; O país registrou uma taxa de crescimento de 0,4% no último e trimestre final de 2016.

Em um outro relatório do Ministério da Economia da Alemanha, "os indicadores econômicos estão apontando para um começo sólido para o ano de 2017", e "No entanto, as incertezas permanecem especialmente no ambiente de comercial. As perspectivas para a economia global permanecem tímidas". O ministério da economia terminou dizendo que tudo surgiu a partir da escalada dos pedidos de fabricação e construção que solidificaram o crescimento no último trimestre.

Crise da Dívida da Grécia

A perda inesperada no último trimestre de 2016 deixou os gregos com o medo do ressurgimento de uma crise da dívida. A Grécia está atualmente sob pressão para rever reformas econômicas que incluem enormes aumentos de aposentadorias e impostos. As questões serão o tema da discussão da próxima reunião dos ministros das finanças da zona do euro no dia 20 de fevereiro.

 

Siga FSM News para sua atualização do mercado 24 horas por dia! Nós fornecemos-lhe as últimas notícias em torno de Forex, commodities, automóvel, consumidor, financeiro, economia e tecnologia. Não perca nenhuma notícia! Inscreva-se agora!