FSM News

A Infiniti, fabricante de carros de luxo da Nissan, planeja lançar pelo menos quatro modelos de produção local na China, visando assim triplicar suas vendas no maior mercado mundial de automóveis nos próximos cinco anos.

 

O presidente da Infiniti, Roland Krueger, declarou nesta quinta que a companhia pretende aumentar suas vendas anuais no mercado do país de rápida emergência em cerca de 150.000 unidades, mais que os 48.000 em 2017.

 

A divisão também aumentará a produção chinesa, então os veículos contabilizarão pelo menos 90% da receita no país até 2025, na qual espera-se ajudar a Infiniti a evitar a volatilidade nas taxas de câmbio, preços das matérias primas e regras das tarifas de importação.

 

A indústria de carros premium da China, que vendeu cerca de 2,5 milhões de veículos ano passado, está crescendo em um ritmo rápido, embora isso represente menos de 10% do total do mercado de automóveis no país.

 

Os veículos de luxo no mercado dos EUA, principal mercado da Infititi, compõem aproximadamente 12%. A companhia, de acordo com Krueger, está expandindo apenas em certas áreas no país, como os veículos utilitários esportivos (SUV), onde as vendas têm estado fortes.

 

Mesmo que a Infiniti tenha crescido nos EUA, Krueger disse que o crescimento do mercado em geral não é similar ao que eles veem na China.

 

As participações da Nissan fecharam em alta de 0,1% a ¥ 1.135,8 nesta quinta.

 

Veículos Infinite na China Serão todos Elétricos Até 2021

 FSMNews

Como parte de um esforço da Infiniti, a companhia fará todos os seus veículos na China ou elétricos ou de energia híbrida até 2021, e fará mais que metade de suas vendas mundiais também elétricas até 2025.

 

Krueger disse que mercado de veículos elétricos na China, que já é o maior do mundo, pode dobrar suas vendas em relação ao ano anterior para cerca de 1 milhão em 2018, o que beneficiaria a Infiniti.

 

Excluindo-se os veículos comerciais elétricos, as vendas dos veículos de passageiros com a nova energia na China foram de 460.000 para 470.000 unidades em 2017.

 

Além disso, Krueger declarou que seus dados mostraram que o interesse nos carros elétricos entre os clientes chineses triplicou de 2011 a 2016.

 

O anúncio sublinha os planos da Nissan de mudar o portfólio da Infiniti de mecanismo de combustão a gás interno e, principalmente, torna o grupo dos carros de luxo uma oferta elétrica.

 

A transição para mais veículos elétricos é relativamente importante, uma vez que pode ajudar as duas companhias a cumprir com as rigorosas regulamentações de consumo de combustível da China e com os limites da produção para os veículos elétricos.

 

Isto também marca um esforço de melhorar a imagem da Infiniti, criando uma marca de luxo procurada com uma seleção de carros elétricos novos.

 

A Infiniti apresentará seis modelos que serão produzidos localmente na China na metade da próxima década. Ao lado do QX50 SUV, a divisão de veículos premium da Nissan vem produzindo o Q50-L, que é um modelo maior entre eixos que o Q50 regular, desde 2014 no país.

 

A Infiniti apresentará um conceito de um sedã médio de luxo chamado ‘A Inspiração Q’ na Apresentação de Automóveis de Pequim na próxima semana, na qual pretende construir um carro baseado neste veículo conceito de energia híbrida durante os próximos cinco anos.

 

Quer os últimos acontecimentos do mercado? Os veja aqui no FSM News. Inscreva-se agora no FSMNews e tenha sua dose diária de informação sobre forex, commodities, ações, tecnologia, economia e muito mais.