FSM News

Os preços do petróleo aumentaram seus ganhos nesta terça, na medida em que a briga comercial entre EUA e China mostram sinais de chegar a um acordo sem causar qualquer prejuízo para a economia global.

 

Os contratos de compras do petróleo bruto da companhia americana West Texas Intermediate (WTI) para maio aumentaram em 1,2% à US$ 64,22 por barril, enquanto a referência internacional do Brent para entrega de junho subiu cerca de 1,2% à US$ 69,53 por barril.

 

Os aumentos vieram após uma alta de mais de 2% na segunda, que recuperaram a queda de 2% da sexta, quando os preços do petróleo também sofreram seus piores declínios para uma semana em dois meses em meio a crescentes preocupações com a guerra comercial entre os dois maiores consumidores brutos mundiais.

 

Os preços do petróleo ficaram em situação volátil nos últimos dias devido as preocupações sobre uma disputa comercial contínua entre os EUA e a China, e incertamente sobre o balanço da oferta e demanda dos mercados de petróleo globais.

 

Xi Jinping Promete Reduzir Tarifas sobre Veículos

 FSMNews

O presidente chinês, Xi Jinping, declarou nesta terça que seu governo reduziria tarifas para os automóveis este ano, como parte de seus planos para futuramente abrir a economia da China ao mundo.

 

A declaração aborda uma das queixas do presidente americano, Donald Trump, que solicitou aos representantes do comércio americano na semana passada que considerassem impor US$ 100 bilhões em tarifas sobre produtos chineses.

 

Trump disse na segunda que a tarifa de 25% da China sobre automóveis importados foi significantemente maior do que a tarifa de 2,5% que os EUA cobram para carros estrangeiros.

 

Não ficou claro, porém, como a promessa de Xi será capaz de resolver as tensões comerciais entre os dois países. A China já pôs a frente novas tarifas sobre US$ 50 bilhões de bens americanos e foram ameaçados de uma retaliação futura.

 

Como maior importador de petróleo bruto e maior consumidor mundial de energia, a China atua como maior determinante dos preços globais do petróleo.

 

 

 

 

 

Preocupações Crescentes sobre Possíveis Sanções Americanas Podem Fazer Oferta de Petróleo Bruto dos EUA Crescer

 FSMNews

Passada a disputa comercial, mudanças no governo Trump têm desencadeado temores sobre a possiblidade do retorno das sanções dos EUA sobre os principais países exportadores de petróleo, incluindo o Iran, Venezuela e Rússia.

 

Sanções americanas anteriores já afetaram a produção do Iran em mais de 1,2 milhão de barris por dia (bpd).

 

Comerciantes dizem que os dados da oferta de combustível dos EUA dariam uma maior direção de mercado.

 

Os preços do petróleo em geral permanecem otimistas devido a forte demanda, assim como o freio da oferta pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e a Rússia (OPEP).

 

Ainda assim, o crescimento do estoque de petróleo bruto dos EUA, que cresce desde meados de 2016 a 10,46 milhões de barris por dia, tem se tornado um obstáculo ao plano do OPEP de conter o excesso de oferta e o aumento dos preços.

 

O Instituo Americano de Petróleo está determinado a divulgar os números do estoque de petróleo no mais tardar neste dia, enquanto a Administração de Informação de Energia deve apresentar seus números na quarta.

 

Somado a isso, os perfuradores americanos aumentaram suas plataformas para 11 nesta semana no dia 06 de abril, em um esforço para obter nova produção de petróleo bruto. A conta total agora soma 808, o maior nível desde março de 2015, sugerindo que os EUA terão mais oferta no por vir.

 

Os últimos eventos do mercado aqui no FSMNews. Inscreva-se e receba as últimas informações sobre Forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.