FSM News

Os preços do petróleo permaneceram andando por caminhos positivos nesta terça, na medida em que os mercados se estreitam com os contínuos esforços da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) em frear a produção e as futuras sanções americanas contra o Irã.

 

O Brent de referência internacional para os futures do petróleo bruto para entrega em julho subiram por 0,8% a US$ 78,93 por barril, fazendo uma nova alta após atingir uma alta de 3 anos e meio de US$ 78,53 durante a sessão anterior.

 

Os contratos dos futures de junho da West Texas Intermediate subiram 0,5% a US$ 71,38 por barril, também não tão distante em relação a sua alta de novembro de 2014 de US$ 71,89, alcançada semana passada.

 

Os limites americanos restaurados contra o membro da OPEP, o Irã, e a robusta demanda por petróleo são o que estão atualmente mantendo os preços bem apoiados, de acordo com os analistas.

 

Produção da OPEP Corta o Apertado Mercado de Petróleo

 FSMNews

O apoio para o petróleo bruto veio conforme os mercados se estreitaram devido aos esforços de frear os estoques para aumentar os preços do petróleo.

 

O aperto do mercado quase resolveu o excedente do fornecimento global que pesaram os preços do petróleo entre 2014 e 2017.

 

Os dados da OPEP apresentados na segunda mostraram que os estoques de petróleo bruto dos membros da Organização Econômica de Cooperação e Desenvolvimento (OECD) estiveram em uma baixa de 9 milhões de barris na média dos últimos 5 anos e mais baixos que os 340 milhões de barris acima da média em janeiro de 2017.

 

O analista de investimento William O’Loughlin disse que a Arábia Saudita e o resto da dedicação da OPEP para cortar a produção é um fator enorme na manutenção dos preços neste momento, assim como o potencial para menos exportações do Irã por causa das sanções.

 

Os preços do petróleo bruto têm estado no limite desde a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, em sair do acordo nuclear no Irã, aumentando as probabilidades de uma disputa no Oriente Médio e criando incertezas sobre o fornecimento mundial.

 

O Irã atualmente fornece aproximadamente 4% da oferta de petróleo bruto mundial e é o terceiro maior produtor na OPEP.

 

Uma vez que as sanções estejam reinstauradas até o fim deste ano, os comerciantes esperam um declínio massivo de 200.000 para quase 1 milhão de barris por dia nas exportações de petróleo do Irã, que pode pôr o já apertado mercado de petróleo bruto em risco de ficar sob ofertado.

 

O diretor de portfólio de commodities Greg Sharenow declarou que qualquer redução na oferta iraniana pode piorar os déficits do mercado, que sugeririam um aumento na pressão sobre os preços. Sharenow também estimou que o petróleo irá além do nível dos US$ 80 em pouco tempo.

 

O ministro de petróleo e gás de Omã, Dr. Mohammed bin Hamad Al-Rumhi, observou que o mercado de petróleo ainda tem um excesso de estoque, mas que está perto de alcançar o equilíbrio.

 

Além disso, as perfurações dos EUA para novas produções puseram um tampo nos preços, com os perfuradores americanos estabelecendo 10 novas plataformas na semana até 11 de maio, aumentando a conta total para 844, o maior nível desde março de 2015.

 

A possibilidade de uma queda próxima no fornecimento de petróleo bruto deve ser capaz de apoiar os preços, junto com o aperto do mercado, que podem ser conhecidos pelo estoque de petróleo do Instituto Americano de Petróleo ao final do dia e com os dados do Administração de Informações da Energia, que deve ser divulgado na quarta.

 

Os últimos acontecimentos do mercado estão aqui no FSM News. Inscreva-se agora no FSM News e receba as últimas informações sobre forex, commodities, mercado de ações, tecnologia, economia e muito mais.