FSM News

Os preços do petróleo declinaram nesta sexta, recuando depois das altas multianuais nas últimas sessões, com a esperança de que a oferta de recursos alternativos possam compensar a queda iminente das exportações iranianas devido as sanções dos EUA.

 

Os Estados Unidos estão planejando reimpor sanções contra o Irã, que é produtor de mais de 4% do fornecimento global de petróleo. A decisão veio após os EUA saírem do acordo de banimento nuclear, que foi feito em 2015. O acordo limitava a capacidade nuclear do Irã em troca da retirada de sanções dos EUA e Europa.

 

A reimposição das sanções vem no despertar de um aperto no mercado de petróleo devido a grande demanda, particularmente na Ásia, e enquanto a grande exportadora Arábia Saudita, e o produtor número 1, Rússia, estão liderando os esforços para cortar o excesso da oferta global para estimular a demanda e aumentar os preços.

 

Os futures do petróleo bruto do Brent permaneceram em $ 77,34 por barril, uma queda de 13 centavos, ou 0,2%, em relação ao último fechamento. Durante o dia anterior, o Brent alcançou seu maior nível desde novembro de 2014 em $ 78 por barril.

 

Os futures do petróleo bruto da WTI caíram 7 centavos, e ficaram a $ 71,29 por barril, o que ainda é um bom alcance em relação à alta de quinta-feira com novembro de 2014, com o preço de $ 71,89 por barril.

 

Muitos analistas estão esperando que os preços do petróleo fiquem mais altos na medida em que o mercado se prepara para as iminentes sanções e pela contração das exportações do Irã em meio as fortes demandas.

 FSMNews

“Nós esperamos que as exportações iranianas caiam bem antes da metade do ano até que as sanções do petróleo entrem em vigor, similarmente às sanções de 2012. Esperamos que próximo a outubro as exportações iranianas estejam em queda de 500.000 barris por dia e, eventualmente, uma queda de 1 milhão de barris por dia,” disse Jefferies, do banco de investimento dos EUA em uma nota na sexta.

 

Por outro lado, há sinais de que outros fornecedores da OPEP irão aumentar a produção de seus membros para compensar o efeito do rompimento do Irã.

 

“O mercado está focado agora na OPEP e na capacidade de outros produtores de reagir à potencial interrupção da oferta. Os investidores estão vislumbrando o Kuwait e o Iraque como produtores com melhor capacidade de aumentar a produção rapidamente em resposta a qualquer queda nas exportações iranianas,” disse o banco ANZ.

 

Enquanto isso, Jefferies afirmou que a OPEP “tem capacidade de repor as perdas iranianas”, mas advertiu que “mesmo que o fornecimento seja mantido constante... o mercado continuará a ser encarado com um precário baixo nível de capacidade de espaço.”

 

Fora da OPEP, a escalada da produção de petróleo bruto dos EUA pode ser capaz de preencher o espaço da oferta do Irã. O petróleo bruto americano alcançou outro recorde semana passada, aumentando para 10,7 milhões de barris por dia. Isto também quer dizer que a produção americana está cada vez mais próxima do nível da Rússia, que está em cerca de 11 milhões de barris por dia.

Os últimos eventos do mercado estão aqui no FSMNews. Inscreva-se agora e receba as últimas informações sobre forex, commodities, bolsas de valores, tecnologia, economia e muito mais.