FSM News

Os preços do petróleo subiram na segunda-feira, com o Brent de referência internacional subindo para acima do nível de US$ 80 ante as expectativas de mercados mais acirrados logo após a imposição de sanções dos EUA no setor de petróleo cru do Irã em novembro.

Os futuros de Brent para entrega em dezembro ganharam 0,3% para US$ 80,06 por barril, enquanto os futuros de petróleo do West Texas Intermediate (WTI) dos EUA escalou 0,4% para US$ 69,47.

Sanções Iminentes do Irã

 FSMNews

Em um esforço para cortar as exportações de petróleo do Irã para zero para forçar assim o país a renegociar um acordo no seu programa nuclear, a administração do presidente dos EUA, Donald Trump, estará reempregando sanções contra o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

O Secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, afirmou no domingo que ficaria mais difícil para os países obterem isenções de sanções do que foi durante a administração anterior de Obama, quando vários países, particularmente na Ásia, receberam.   

Os países teriam que cortar suas compras do petróleo iraniano em mais do que aproximadamente o nível de 20% que eles cortaram de 2013 a 2015 para obter isenções, de acordo com Mnuchin, acrescentando que se eles derem isenções, ele espera que as reduções serão significativamente maiores.

Mnuchin disse também que ele não espera que eles chegarão a zero no próximo mês, mas ele espera que eles eventualmente atingirão zero, notando que já tem havido significantes declínios antes desta data.  

As exportações de petróleo do Irã poderão cair em até dois terços como resultado das sanções, que estão definidas para começar em 4 de novembro, pressionando os mercados. A OPEP concordou em aumentar em junho o fornecimento para compensar as esperadas interrupções nas exportações iranianas.

Entretanto, um documento interno sugeriu que a OPEP está tendo problemas para impulsionar os fornecimentos uma vez que um aumento nos estoques sauditas foi ofuscado pelas perdas em outros lugares.

O diretor executivo da Agência Internacional de Energia (IEA, sigla em inglês), Faith Bairol, afirmou que outros produtores podem achar mais difícil compensar a possível interrupção do Irã e que o preço do petróleo poderia subir para ainda mais alto.

Além disso, a América do Norte poderá oferecer algum abrandamento uma vez que adicionou quatro plataformas de perfuração na semana de 19 de outubro, levando a contagem total para 873, seu nível mais alto desde março de 2015, de acordo com uma empresa de serviços energéticos dos EUA.

A contagem de plataforma de perfuração de petróleo dos EUA atua como um instrumento de medição anterior da produção futura. Com a atividade aumentando após meses de estagnação, a produção de petróleo cru dos EUA é esperada também para continuar a aumentar.

Além disso, espera-se que o conflito comercial aquecido entre os EUA e a China começará a pesar na demanda.

Um banco baseado em Dubai afirmou que o impacto total da guerra comercial entre Sino e EUA atingirão os mercados em 2019 e poderá desempenhar um papel importante na desaceleração da demanda de petróleo no próximo ano, fortalecendo a probabilidade de o mercado retornar ao superávit.

A manufatura chinesa está começando a recuar e a proposta de Trump de impor tarifas sob produtos adicionais chineses a partir de 1 de janeiro poderia ser mais uma desvantagem para o comércio, disse uma empresa de corretagem de envio.

Um porta-voz de uma importante refinaria de combustível, KY Lin, afirmou que a demanda mais fraca na Europa e nos EUA já estava afetando as margens de lucro de gasolina uma vez que o excesso de combustível está sendo enviado para a Ásia.

Veja o que está movimentando os mercados aqui em FSMNews. Assine agora para FSMNews e fique atualizado com o mais recente sobre forex, commodities, ações, tecnologia, economia e muito mais.