FSM News

O regulador dos mercados de Hong Kong multou o gigante bancário Credit Suisse AG por cerca de HK 39,3 milhões, US$ 5 milhões, por várias violações regulatórias e várias falhas de controle interno no período de 14 anos.

A Comissão de Valores Mobiliários e Futuros (SFC, sigla em inglês) disse que as violações regulatórias, ocorridas entre 2010 e 2016, incluíram falhas na segregação de títulos de clientes de valores mobiliários, relatórios de transações comerciais diretas e cumprimento de requisitos de venda a descoberto, requisitos de negociação eletrônica e notas de contrato .

As infrações e falhas regulatórias foram relatadas pelo banco ao SFC, no qual eles envolveram sua administração sênior para resolver as questões regulatórias em um estágio inicial, disse a SFC.

"Neste caso, a cooperação rápida e extensiva do Credit Suisse acelerou significativamente a resolução efetiva das questões que causaram as preocupações da SFC", disse Thomas Atkinson, diretor executivo de execução da SFC.

"Caso contrário, as sanções por falhas similares seriam substancialmente maiores".

"O Credit Suisse tomou as medidas adequadas para garantir que as obrigações legais e regulamentares do Credit Suisse sejam mantidas em todos os momentos e para evitar a repetição desses incidentes", disse Yukmin Hui, porta-voz do Credit Suisse em uma declaração por e-mail.

"A resolução anunciada pela SFC hoje não impõe quaisquer restrições às atividades comerciais do Credit Suisse em Hong Kong ou em outros lugares".

 FSMNews

A multa foi a segunda maior multa monetária imposta nos últimos 12 meses. Em novembro, o regulador penalizou a unidade bancária privada do HSBC Holdings Plc com um recorde de HK$ 400 milhões sobre vendas de produtos estruturados ligados à Lehman Brothers Holdings Inc. em Hong Kong.

O Credit Suisse, com sede em Zurique, na Suíça, também foi multado em novembro pelo Departamento de Serviços Financeiros de Nova York no valor de US$ 135 milhões por uma série de violações na negociação cambial, afirmando que havia se envolvido em uma conduta "imprópria, insegura e inadequada" no mercado de FX durante pelo menos um período de oito anos até 2015.

Não fique desatualizado! Inscreva-se agora no FSMNews e seja o primeiro a conhecer as novidades sobre o forex, commodities, ações, tecnologia e economia.