FSM News

Após ameaças do banco central da Nova Zelândia referente a uma possível inflação nos Estados Unidos e um aumento no nível das taxas de juros provocado pela administração de Trump e seus princípios protecionistas, o presidente dos Estados Unidos finalmente quebrou seu silêncio com a China em uma carta para o presidente chinês Xi Jinping afirmando que ele deseja trabalhar com o país em uma relação construtiva para beneficiar ambas as economias dos países.

Na carta que incluiu uma saudação para a celebração do Ano Novo Lunar do país, que é o feriado mais celebrado no país. Trump também agradeceu Xi pela carta que ele enviou em sua inauguração e acrescentou que estava ansioso para trabalhar com o presidente chinês.

Isso surpreendeu alguns mercados e investidores uma vez que Trump falou recentemente contra a China e os acusou de roubar empregos dos americanos no setor manufatureiro e até ameaçou continuar a chamar a China de manipuladora de moeda. Além disso, ele também afirmou que pretende impor tarifas mais altas sob produtos e serviços do país e aumentar as queixas comerciais contra a China.

O presidente Trump também recebeu um telefonema do presidente taiwanês Tsai Ing-wen em dezembro passado, perturbando a China que vê Taiwan como um país sem direito a quaisquer acordos diplomáticos formais com outros países. O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, também afirmou que a China não deve receber aprovação de acesso às ilhas no controverso Mar da China Meridional.

Em troca a China declarou inúmeras vezes que atualmente tem contratos suaves com a atual administração e manteve-se em contato com os Estados Unidos de acordo com o Ministério de Relações Exteriores em Pequim. O diplomata chinês Conselheiro de Estado Yang Jiechi teria conversado recentemente com o conselheiro de segurança de Trump, Michael Flynn, sobre as esperanças da China de trabalhar em estreita colaboração com os EUA em seus desejos de evitar disputas e outras questões. Enquanto isso, o país que está celebrando o Ano Novo Lunar que se encerrará este sábado no Festival das Lanternas ainda não comentou a carta da Casa Branca.

Economia da China Crescerá Até 2050 e Estados Unidos Em Perigo

FSMNews

Junto com o anúncio inesperado da carta de Trump ao presidente chinês, há atualmente uma previsão para que a economia de China cresça e ultrapasse os Estados Unidos em 2050.

De acordo com os economistas, o produto interno bruto da China deve subir para mais de US$ 58,5 trilhões, enquanto a Índia que potencialmente ultrapassará até mesmo os Estados Unidos em US$ 44 trilhões, enquanto os Estados Unidos têm atualmente uma perspectiva de PIB de US$ 34,1 trilhões.

O relatório foi baseado nas avaliações cambial de mercado atual que mostram que as economias chinesas e indianas estão para crescer significativamente nos próximos anos até 2015.

Efeitos de Guerra Comercial Entre Estados Unidos e China

FSMNews

No momento, há ameaças do presidente dos Estados Unidos Donald Trump de impor pesados impostos sobre as exportações da China antes ele enviou uma carta oferecendo uma proposta de um relacionamento construtivo que amenizou a tensão entre os dois países

A antiga ameaça de impostos de Trump fez com os mercados esperassem por uma possível guerra comercial entre os dois países que resultaria em um decréscimo de 25% nas exportações chinesas.

Atualmente há uma guerra comercial iminente se a China decidir ignorar e não cooperar com os Estados Unidos o que afetaria muito os Estados Unidos em vez da China, mas atualmente os investidores e analistas estão apostando fortemente em um acordo a ser feito entre os dois países uma vez que a China pode se beneficiar o empreendimento turístico potencial nos Estados Unidos, enquanto este último poderia ajudar a preencher suas lacunas comerciais através de uma parceria com a China. Enquanto a China pode pedir impostos menores dos EUA, Trump ainda tem a capacidade de colocar tarifas em produtos que não são desafiados por produtos chineses.