FSM News

A gigante do varejo Walmart pode fechar um acordo para comprar uma participação majoritária do grupo de e-commerce Flipkart por pelo menos US$ 12 bilhões já na próxima semana, em um negócio que fornecerá a operadora de lojas de guloseimas um lugar no mercado emergente de e-commerce na Índia.

 

Fontes próximas disseram que todos os principais investidores da Flipkart apoiam a aquisição pelo Walmart, após a recente deliberação sobre uma compra pela Amazon.com. Se a transação seguir em frente, ela será a maior na indústria de e-commerce no país.

 

Em relatos recentes, foi informado que a companhia, sediada em Arkansas, completou seu processo de diligência e propôs comprar 51% das participações da companhia indiana por US$ 7 bilhões.

 

O conselho da Flipkart favoreceu o Walmart sobre a Amazon, pois acreditam que o Walmart pode completar o acordo mais facilmente, uma vez que provavelmente tenha menos assuntos regulatórios a resolver.

 

O Walmart não quis comentar sobre o desenvolvimento do negócio, enquanto a Flipkart ainda não respondeu às solicitações por declarações.

 

Sabe-se que o grupo de fundos Tiger Management venderá quase todos seus 20% de propriedade na startup de varejo online, enquanto o grupo conglomerado multinacional SoftBank dará uma enorme porção de deus 20% de participações, de acordo com as fontes.

 

Espera-se que a holding japonesa lucre com um negócio que ela cortou no ano passado. Acredita-se que o SoftBank investiu US$ 2,5 bilhões na avaliação do último mês de agosto, e na avaliação de negócio do Walmart, e que as participações poderiam estar valendo mais de US$ 4 bilhões.

 

O SoftBank e a Tiger são atualmente os maiores acionistas da Flipkart, seguidos pela empresa de internet sul-africana, Naspers.

 

As participações do Walmart subiram 0,08%, a US$ 87,05, em algumas horas no pregão.

 

Provável Entrada do Walmart no Mercado de E-commerce na Índia

 FSMNews

Com o maior varejista online da Índia se juntando com a maior companhia de varejo do mundo, os observadores da indústria esperam que o negócio Walmart-Flipkart ajude os consumidores, assim como os futuros investidores e acionistas.

 

Fontes declararam que o negócio poderia deixar o Walmart com 60% a 80% da Flipkart, avaliados em US$ 20 bilhões, que é mais que avaliação da companhia em 2017, de quase US$ 12 bilhões. A Flipkart já é a startup mais valorizada na Índia.

A operadora das lojas físicas também ganhará uma forte base de apoio no mercado de comércio online no país, vendo que ela vem se esforçando para manter-se em alta com a Amazon, na medida em que as compras online crescem mais e se tornam mais populares.

 

O Walmart foi por muito tempo uma empresa business-to-business (B2B) na Índia, mas nunca foi um participante business-to-consumer (B2C), uma vez que as regras do Foreign Direct Investiment (FDI) restringem a companhia de fazer tais transações.

 

Enquanto isso, a varejista tem expandido sua presença na Índia sozinha, com o fundador e diretor executivo, Jeff Bezos, comprometendo US$ 5,5 bilhões para o país, e a Amazon, dirigida por Amit Agarwal, fazendo progresso ajustando o negócio baseado nas condições do país.

 

A Amazon Índia atualmente tem mais de 115 milhões de usuários registrados, de acordo com Agarwal.

 

Analista de previsão sênior, Satish Meena declarou que não existe outro país a oferecer este tipo de expectativa, acrescentando que mesmo que a Índia não possa ser um grande negócio agora, é uma oportunidade futura que o Walmart e a Amazon estão buscando.

 

Meena também acredita que o acordo fortalecerá o crescimento do mercado eletrônico na Índia.

 

Os últimos acontecimentos do mercado estão aqui, no FSM News. Inscreva-se agora no FSM News e receba as notícias mais atualizadas sobre forex, commodities, ações, tecnologia, economia e muito mais.